VMWare adquire a SpringSource

A VMWare anunciou a compra da SpringSource (empresa do criador do framework Spring, Rod Johnson)
por quase $ 370M. Segundo a empresa e também ao criador do Spring, o forte apoio ao open source será mantido.

Veja o que Rod Johnson comentou sobre a venda e sobre o futuro do Spring:

Sleep easy – our commitment to open source practices, licenses and traditions will remain unchanged. We expect our contributions to open source to increase. Our open source projects will retain their commitment to enabling user choice. Spring will retain the portability between deployment environments that empowers users.

Trocando em miúdos: ele comentou que o comprometimento dos funcionários da SpringSource, bem como as licenças e práticas serão mantidas.

E você, o que acha disso? Vai ser melhor para o Spring? Para a comunidade?

Drafts disponíveis do livro Arquitetura Java

Como já foi dito nesse blog, alguns desenvolvedores da Caelum anunciaram no Falando em Java 2009 o lançamento do livro Arquitetura e Design de Software, previsto para novembro deste ano. Hoje, os autores do livro disponibilizaram quatro tópicos do livro (draft).

Será o primeiro livro em língua portuguesa que irá cobrir os principais tópicos (recentes) da arquitetura da plataforma Java,  falando desde a JVM até linguagens que foram incorporadas na plataforma, escrito por profissionais que atuam no dia a dia desenvolvendo projetos comerciais, open source e ministrando os mais variados cursos na plataforma Java.

Falando em Java 2009: eu fui!

Este ano tive a oportunidade de participar da terceira edição do Falando em Java, um evento sobre a plataforma Java da Caelum que ocorre anualmente. Conheci alguns amigos gujeiros, twitteiros e também da própria empresa.

A presença do Jim Webber da Thoughtworks foi fundamental, visto que Bill Burke não pôde comparecer ao evento (devido a problemas com visto). Para a sorte do evento, além de ministrar a palestra Guerrilha SOA, Jim também possuía um know-how bem forte sobre Web services (veja o livro de sua autoria sobre o assunto) e pôde ministrar com maestria a palestra do Bill Burke. Além de ter mostrado uma forte qualidade técnica, Jim soube cativar o público com algumas pitadas de humor, sendo ovacionado diversas vezes nas suas palestras.

Em sua palestra sobre SOA, Jim apresentou uma analogia de silos e pontes com sistemas interoperáveis, ou seja, do modo com que se construía sistemas em módulos sem possuir integração alguma (e que não seria uma simples ponte que faria com que dois ou mais sistemas se comunicassem entre si de uma forma concisa), do grande hype sobre o mundo SOA e a forma que as empresas vendem seus produtos baseados nessa tecnologia. No mundo SOA, entenda ESB como um hub que recebe/envia mensagens de diversos sistemas distintos. Para Jim, ESB representa um barramento mágico que ofusca o que faríamos quando fossemos integrar sistemas diferentes em uma corporação, abstraindo do desenvolvedor essa tarefa, porém fazendo a mesma coisa que faziam no passado: incluindo pontes entre silos (você conseguiria imaginar isso?). Seria Same Old Arquitecture uma buzzword ou realmente SOA é algo diferente e novo?

Em sua segunda palestra, Jim abordou REST webservices e enfatizou (assim como Felipe Sabella – vulgo lipe – na palestra sobre VRaptor 3) a importância de ser eficaz na web. Explicou também a importância da web e que infelizmente a maioria das empresas/pessoas não sabem aproveitar o que a tecnologia que envolve o protocolo HTTP oferece. No blog do Bruno Pereira você verá muita coisa sobre REST.

Hibernate foi um dos assuntos mais comentados no evento, com dicas de boas práticas e alguns exemplos de lazy loading (EXTRA mode), batch, stateless session, cluster, load balance, n+1 selects e outros. Algumas apresentações tiveram exemplos práticos, como na apresentação sobre o JBoss Seam e Web beans, onde o cenário da compra de pães foi mostrado. Na verdade, a idéia por trás desse cenário era para exemplificar e mostrar a Java Contexts and Dependency Injection (JSR-299), onde a pessoa receberia o pão como recurso (injetado), e não ter que se deslocar para obter o pão. O cenário full stack do JBoss Seam é um chamativo para desenvolvedores que estão em busca de features out of box, como: segurança, integração com relatórios, frameworks MVC, mensageria, AJAX, dentre outros. Já o que mais me chamou atenção na palestra sobre VRaptor 3 foi a list-roadmap dos desenvolvedores e o fato de que eles inserem as necessidades que irão trazer praticidade para o dia-a-dia deles em atividades de desenvolvimento de software. Estou utilizando a versão 2.x do VRaptor em um projeto open source e estou gostando bastante, principalmente pela simplicidade e por não ser intrusivo. O VRaptor possui integração com Spring, Hibernate, freemarker, velocity e outros frameworks. Acredito que a palestra sobre arquitetura para aplicações java de médio porte poderia ter relacionado outros tipos de funcionalidades arquiteturais, como segurança, mensageria, integrações, front-ends, etc.

img_livro

Uma das principais novidades do evento foi o anúncio do lançamento do livro Arquitetura Java, previsto para o mês de novembro deste ano, com participação de alguns instrutores da Caelum e prefácio do Shoes. Todos os participantes do evento terão desconto na compra do livro. Outra novidade é a abertura de uma filial em Brasília e o lançamento do curso de Adobe Flex.

Para concluir, gostaria de parabenizar a Caelum pelo excelente evento e agradecer o apoio do Paulo Silveira.

Até o próximo!

O desenvolvedor web eficaz

Seguindo a linha de títulos de posts clássicos da Caelum que contém o adjetivo eficaz, indico o post Dicas de estudo para se tornar um desenvolvedor web produtivo de autoria do Bruno Pereira para desenvolvedores web que utilizam qualquer plataforma de desenvolvimento.

Nesse post, Bruno fala de frameworks web Java, frameworks da nova geração, JavaScript, HTML, CSS, AJAX e plugins do Firefox para ambientes de desenvolvimento. Além disso, todo desenvolvedor web tem deve que saber como funciona o protocolo HTTP, que o método GET solicita um recurso e que o método POST envia dados para um servidor. Evite reinventar a roda e procure se basear no princípio DRY. Por exemplo, hoje em dia é comum vermos em empresas desenvolvedores criando frameworks AJAX  do zero. Numa era de jQuery, Ext JS, YUI, mootools e prototype, pra quê criar um framework AJAX em um ambiente corporativo?

Se você está programando em JavaScript e também é um desenvolvedor que utiliza TDD no seu dia-a-dia, por que não utilizar TDD no seu código JavaScript com JsUnit e JsMock?

Além das dicas do Bruno, recomendo a leitura do livro High Performance Web Sites: Essential Knowledge for Front-End Engineers. Alguns assuntos abordados no livro: Http overview, Expires Header, Gzips components e um estudo de caso de 10 big players da internet.

Também não deixe de acompanhar novidades em blogs de desenvolvedores que utilizam os princípios acima.

Enfim, recursos não faltam para você se tornar um desenvolvedor web eficaz!

O poder da blogosfera

O que começou com uma brincadeira virou realidade. Na última quarta-feira iniciamos um debate no Twitter sobre os problemas gravíssimos que Fortaleza vem passando nos últimos meses: a insatisfação com as vias públicas da cidade.

Inicialmente, participaram do debate os blogueiros e twitteiros Emílio Moreno (@emiliomoreno), Christiano Milfont (@cmilfont), Rafael Galdino (@rafaelgaldino), Rodrigo Galba (@rodrigogalba) e eu (@rcarneiro). Após alguns minutos de debate, criei o mapa denominado #buracosfortaleza (hashtag do Twitter) no serviço Google Maps.

O poder dos blogs

Em poucas horas, a notícia do movimento contra a péssima administração da prefeitura e a divulgação do mapa apareceram nos principais meios jornalísticos de Fortaleza e os twitteiros rapidamente divulgaram para seus amigos e familiares. No momento da elaboração desse post o mapa possuia quase 17 mil visualizações e centenas de buracos registrados. A repercussão do movimento está tão grande que já saiu no jornal impresso Diário do Nordeste (especificamente no caderno Zoeira) e no vcreporter do Terra.

A idéia por trás do mapa é de catalogar os buracos das ruas da capital cearense. A partir do mapa, os motoristas poderão visualizar os buracos e prevenir possíveis transtornos com seus veículos.

O serviço é totalmente colaborativo (com possibilidade de incluir fotos e vídeos) e saiba como participar nesse post no blog do Emílio Moreno (jornalista e amigo que está fazendo a cobertura completa).

#buracosfortaleza nos principais veículos informativos de Fortaleza

Falando em Java 2009: eu vou!

Falando em Java 2009

Falando em Java 2009

Este ano irei participar do Falando em Java 2009. Em sua terceira edição, a Caelum irá trazer como keynotes o Jim Webber da ThoughtWorks e Bill Burke, figurinha bastante conhecida na comunidade Java, da JBoss/Red Hat.

Será o segundo evento que irei participar em São Paulo, o último foi o Just Java 08. Estou bastante contente com a participação nesse evento, no qual irá reunir uma galera boa do GUJ, PortalJava, Caelum, javeiros e blogueiros conhecidos. Desde os tempos do Conexão Java e das antigas edições do Just Java que desejo participar de um evento que compareça toda essa turma em peso.

Sobre o evento, dispenso comentários. A Caelum é uma empresa que se firmou no cenário nacional como referência de treinamentos Java e que apoia fortemente a comunidade Java brasileira.

Vejo você por lá!

Participação na MundoJava 33

capamundojava33

Escrevi em dupla com Tarso Bessa o artigo EJB vs Spring: uma disputa de gigantes na Mundo Java edição 33, referente aos meses de janeiro e fevereiro.

Ministramos uma palestra no CEJUG sobre esse conteúdo em abril do ano passado e também no JustJava 08 em São Paulo. A única ressalva é que não utilizamos o tema das palestras como o nome do artigo.

Tive a oportunidade de conhecer o Eduardo Guerra em agosto de 2008 (em um evento do CEJUG) e em conversas sobre o mundo Java ele nos convidou para escrevermos um artigo sobre  o assunto da nossa palestra no JustJava.

A idéia e intuito da criação do artigo não era de definir que X é melhor do que Y, e sim a idéia de compararmos os principais recursos das duas tecnologias (segurança, transações, mensageria, etc) e mostrar para o desenvolvedor que cabe apenas a ele escolher qual tecnologia trará mais benefícios. Isso não faria o menor sentido, até porque já existem diversas comparações na internet sobre esse assunto e até hoje os caríssimos Rod Johnson e Bill Burke travam uma guerra interminável sobre esse assunto.

Veja um trecho introdutório do artigo:

O objetivo deste artigo é realizar um comparativo entre o Spring e EJB 3 em quesitos que são fundamentais para as aplicações de hoje. Para isso, foi desenvolvida uma aplicação semelhante a uma loja virtual explorando como esses dois gigantes se comportariam diante de requisitos que tinham que ser implementados de uma forma similar. Os seguintes tópicos foram abordados: Injeção de Dependência, Controle de Transações, Agendamento, Suporte à Orientação a Aspectos, Web Services, Serviços de Mensagens e, por último, Segurança. Cada tópico desses tem uma relação com um requisito da aplicação: agendamento para checagem de estoque de produtos; aspectos para gravação de histórico de alteração de dados; segurança para proteção das páginas que envolvem transações financeiras; Web Services para disponibilizar a lista de produtos da loja para aplicativos externos; serviço de mensagens assíncronas para processamento de pagamento; controle de transações para garantir a integridade dos dados e controle de concorrência; e por fim, injeção de dependência para simplificar a programação da aplicação.

Café com Tapioca especial de Natal

Para finalizar este ano com chave de ouro, o Café com Tapioca de dezembro será especial. O Café com Tapioca especial de Natal terá dois mini-cursos: JavaME e Android in action e também o JBoss Day, com participação de Vando Batista (C.E.S.A.R) e João Paulo Viragine (redhat).
Vando trabalha com JavaME no C.E.S.A.R e irá ministrar os cursos na plataforma mobile (JavaME e Android). João Paulo trabalha na redhat, onde atua como arquiteto de soluções JBoss e irá ministrar três palestras sobre o JBoss: Visão Geral da Plataforma JBoss, JBoss Operations Network – Administração Efetiva de Ambientes JBoss Corporativos e Mais Velozes e Mais Furiosos: Desenvolvimento Web 2.0 E JEE com JBoss Seam.

Acesse a página do evento para obter mais informações e também para garantir a sua vaga nos mini-cursos (gratuitos). As palestras do JBoss Day também serão gratuitas e não é preciso confirmar presença. Aproveite!

O CEJUG realizou ao longo deste ano os eventos Café com Tapioca mensais, havendo até dois eventos por mês, como foi o caso do meses de agosto (1|2), outubro (1|2) e novembro (1|2).

Esperamos fazer repetir a retrospectiva de 2007 e criar outro vídeo com as realizações do grupo este ano e lançarmos para a comunidade Java do Brasil, que vem fazendo um maravilhoso trabalho de evangelização Java, com dezenas de eventos nacionais de altíssima qualidade.

Secomp 08 e CCT de novembro

Falando em eventos, na próxima quinta-feira (20/11)  irei ministrar mais uma palestra (felizmente) Apresentando o CEJUG e o poder do Java. A palestra ocorrerá na SECOMP, evento que ocorre na Faculdade Lourenço Filho e que já está na sua oitava edição.

Irá ocorrer também o CCT deste mês, com a presença do meu velho amigo Jeveaux, do PortalJava.

Palestras do CCT:

  • Testes de Software – Jeveaux
  • Desenvolvendo aplicações web no eclipse utilizando Tapestry 5 – Marcus Veloso