Monthly Archives: May 2009

Falando em Java 2009: eu fui!

Este ano tive a oportunidade de participar da terceira edição do Falando em Java, um evento sobre a plataforma Java da Caelum que ocorre anualmente. Conheci alguns amigos gujeiros, twitteiros e também da própria empresa.

A presença do Jim Webber da Thoughtworks foi fundamental, visto que Bill Burke não pôde comparecer ao evento (devido a problemas com visto). Para a sorte do evento, além de ministrar a palestra Guerrilha SOA, Jim também possuía um know-how bem forte sobre Web services (veja o livro de sua autoria sobre o assunto) e pôde ministrar com maestria a palestra do Bill Burke. Além de ter mostrado uma forte qualidade técnica, Jim soube cativar o público com algumas pitadas de humor, sendo ovacionado diversas vezes nas suas palestras.

Em sua palestra sobre SOA, Jim apresentou uma analogia de silos e pontes com sistemas interoperáveis, ou seja, do modo com que se construía sistemas em módulos sem possuir integração alguma (e que não seria uma simples ponte que faria com que dois ou mais sistemas se comunicassem entre si de uma forma concisa), do grande hype sobre o mundo SOA e a forma que as empresas vendem seus produtos baseados nessa tecnologia. No mundo SOA, entenda ESB como um hub que recebe/envia mensagens de diversos sistemas distintos. Para Jim, ESB representa um barramento mágico que ofusca o que faríamos quando fossemos integrar sistemas diferentes em uma corporação, abstraindo do desenvolvedor essa tarefa, porém fazendo a mesma coisa que faziam no passado: incluindo pontes entre silos (você conseguiria imaginar isso?). Seria Same Old Arquitecture uma buzzword ou realmente SOA é algo diferente e novo?

Em sua segunda palestra, Jim abordou REST webservices e enfatizou (assim como Felipe Sabella – vulgo lipe – na palestra sobre VRaptor 3) a importância de ser eficaz na web. Explicou também a importância da web e que infelizmente a maioria das empresas/pessoas não sabem aproveitar o que a tecnologia que envolve o protocolo HTTP oferece. No blog do Bruno Pereira você verá muita coisa sobre REST.

Hibernate foi um dos assuntos mais comentados no evento, com dicas de boas práticas e alguns exemplos de lazy loading (EXTRA mode), batch, stateless session, cluster, load balance, n+1 selects e outros. Algumas apresentações tiveram exemplos práticos, como na apresentação sobre o JBoss Seam e Web beans, onde o cenário da compra de pães foi mostrado. Na verdade, a idéia por trás desse cenário era para exemplificar e mostrar a Java Contexts and Dependency Injection (JSR-299), onde a pessoa receberia o pão como recurso (injetado), e não ter que se deslocar para obter o pão. O cenário full stack do JBoss Seam é um chamativo para desenvolvedores que estão em busca de features out of box, como: segurança, integração com relatórios, frameworks MVC, mensageria, AJAX, dentre outros. Já o que mais me chamou atenção na palestra sobre VRaptor 3 foi a list-roadmap dos desenvolvedores e o fato de que eles inserem as necessidades que irão trazer praticidade para o dia-a-dia deles em atividades de desenvolvimento de software. Estou utilizando a versão 2.x do VRaptor em um projeto open source e estou gostando bastante, principalmente pela simplicidade e por não ser intrusivo. O VRaptor possui integração com Spring, Hibernate, freemarker, velocity e outros frameworks. Acredito que a palestra sobre arquitetura para aplicações java de médio porte poderia ter relacionado outros tipos de funcionalidades arquiteturais, como segurança, mensageria, integrações, front-ends, etc.

img_livro

Uma das principais novidades do evento foi o anúncio do lançamento do livro Arquitetura Java, previsto para o mês de novembro deste ano, com participação de alguns instrutores da Caelum e prefácio do Shoes. Todos os participantes do evento terão desconto na compra do livro. Outra novidade é a abertura de uma filial em Brasília e o lançamento do curso de Adobe Flex.

Para concluir, gostaria de parabenizar a Caelum pelo excelente evento e agradecer o apoio do Paulo Silveira.

Até o próximo!

O desenvolvedor web eficaz

Seguindo a linha de títulos de posts clássicos da Caelum que contém o adjetivo eficaz, indico o post Dicas de estudo para se tornar um desenvolvedor web produtivo de autoria do Bruno Pereira para desenvolvedores web que utilizam qualquer plataforma de desenvolvimento.

Nesse post, Bruno fala de frameworks web Java, frameworks da nova geração, JavaScript, HTML, CSS, AJAX e plugins do Firefox para ambientes de desenvolvimento. Além disso, todo desenvolvedor web tem deve que saber como funciona o protocolo HTTP, que o método GET solicita um recurso e que o método POST envia dados para um servidor. Evite reinventar a roda e procure se basear no princípio DRY. Por exemplo, hoje em dia é comum vermos em empresas desenvolvedores criando frameworks AJAX  do zero. Numa era de jQuery, Ext JS, YUI, mootools e prototype, pra quê criar um framework AJAX em um ambiente corporativo?

Se você está programando em JavaScript e também é um desenvolvedor que utiliza TDD no seu dia-a-dia, por que não utilizar TDD no seu código JavaScript com JsUnit e JsMock?

Além das dicas do Bruno, recomendo a leitura do livro High Performance Web Sites: Essential Knowledge for Front-End Engineers. Alguns assuntos abordados no livro: Http overview, Expires Header, Gzips components e um estudo de caso de 10 big players da internet.

Também não deixe de acompanhar novidades em blogs de desenvolvedores que utilizam os princípios acima.

Enfim, recursos não faltam para você se tornar um desenvolvedor web eficaz!

O poder da blogosfera

O que começou com uma brincadeira virou realidade. Na última quarta-feira iniciamos um debate no Twitter sobre os problemas gravíssimos que Fortaleza vem passando nos últimos meses: a insatisfação com as vias públicas da cidade.

Inicialmente, participaram do debate os blogueiros e twitteiros Emílio Moreno (@emiliomoreno), Christiano Milfont (@cmilfont), Rafael Galdino (@rafaelgaldino), Rodrigo Galba (@rodrigogalba) e eu (@rcarneiro). Após alguns minutos de debate, criei o mapa denominado #buracosfortaleza (hashtag do Twitter) no serviço Google Maps.

O poder dos blogs

Em poucas horas, a notícia do movimento contra a péssima administração da prefeitura e a divulgação do mapa apareceram nos principais meios jornalísticos de Fortaleza e os twitteiros rapidamente divulgaram para seus amigos e familiares. No momento da elaboração desse post o mapa possuia quase 17 mil visualizações e centenas de buracos registrados. A repercussão do movimento está tão grande que já saiu no jornal impresso Diário do Nordeste (especificamente no caderno Zoeira) e no vcreporter do Terra.

A idéia por trás do mapa é de catalogar os buracos das ruas da capital cearense. A partir do mapa, os motoristas poderão visualizar os buracos e prevenir possíveis transtornos com seus veículos.

O serviço é totalmente colaborativo (com possibilidade de incluir fotos e vídeos) e saiba como participar nesse post no blog do Emílio Moreno (jornalista e amigo que está fazendo a cobertura completa).

#buracosfortaleza nos principais veículos informativos de Fortaleza